Anunciantes

21 estatísticas sobre publicidade nativa

Fernanda Negrini
Fernanda Negrini
|  
native-em-numeros

Você sabia que já se passaram 10 anos desde que o termo “publicidade nativa” foi mencionado pela primeira vez?

Claro, o conceito existe há muito mais tempo. Se você adora história, este infográfico sobre a evolução da publicidade nativa ao longo do século passado vai te interessar.

Para celebrar o 10º aniversário da publicidade nativa, reunimos 21 estatísticas sobre native advertising que demonstram o poder desta tática de marketing digital que está em crescimento exponencial em 2021.

  1. Espera-se que os gastos com anúncios nativos nos EUA aumentem 21% em 2021, atingindo um valor de 57 bilhões de dólares. (eMarketer)
  2. Os gastos nativos com dispositivos móveis mais do que dobraram entre 2018 e 2020, chegando a 45 bilhões de dólares nos EUA.  (eMarketer)
  3. O setor de publicidade nativa deve crescer e atingir o patamar de 400 bilhões de dólares até 2025. (The Drum)
  4. A publicidade nativa é o segundo melhor canal em performance para campanhas de vídeo, de acordo com os publishers dos EUA. (eMarketer)
  5. A publicidade nativa na open web que utiliza uma abordagem baseada no marketing de conteúdo obteve CTRs médios de 5 a 10X mais altos do que uma abordagem de marketing mais agressiva. (Outbrain / Content Marketing Institute)
  6. Os anúncios nativos são 62% mais fáceis de entender do que os anúncios displays e 31% mais fáceis de entender do que os anúncios de social. (Outbrain/Lumen)
  7. Anúncios exibidos em sites de notícias premium têm 44% mais chances de serem percebidos como confiáveis do que anúncios em sites de mídias sociais. (Outbrain/Lumen)
  8. As recomendações nativas são 27% mais confiáveis do que os anúncios sociais. (Outbrain/Lumen)
  9. 44% dos visitantes confiam em um anúncio exibido em um site de um publisher premium. (Outbrain)
  10. O formato de vídeo click-to-play foi eleito como o preferido entre os brasileiros, com 35% das escolhas (Outbrain/Sapio)
  11. Campanhas nativas de longo prazo são mais econômicas. As campanhas nativas executadas por mais de seis meses têm um CPC médio 36,4% menor do que as campanhas executadas por seis meses ou menos. (Outbrain)
  12. A categoria de publicidade nativa com a maior taxa de cliques é a categoria Beleza, com CTR médio de 0,104%.  (Outbrain)
  13. 95% do conteúdo publicitário submetido a aprovação na Outbrain por afiliados em 2019 foi aceito. (Outbrain
  14. O desempenho no mobile supera o de desktop em formatos nativos para afiliados. Os investimentos em native em dispositivos móveis representam metade do gasto total dos afiliados, embora gerem 65% dos cliques com um CPC 48% menor. (Outbrain
  15. Para afiliados, a utilização de Lookalikes para publicidade nativa aumenta as conversões em 3x e diminui o CPA em pelo menos 35%. (Outbrain
  16.  Consumidores reparam nos anúncios nativos 53% mais do que nos anúncios display. (Outbrain)
  17. Os anúncios nativos criam um aumento de 18% na intenção de compra. (Outbrain
  18. Os anúncios nativos obtêm taxas de engajamento 20-60% mais altas do que os banners e anúncios displays. (Marketing Land
  19. As taxas de retenção de publicidade nativa são 3 vezes mais altas do que os anúncios displays. (Marketing Land)
  20. 1 em cada 4 millennials afirmam ter clicado em um anúncio nativo hoje. (Outbrain/Sapio)
  21. Os formatos de anúncios nativos alcançaram CTRs de aproximadamente 0,3% em comparação com 0,12% alcançado por formatos de anúncio IAB padrão. (IAB Europe)

À medida que as vantagens da publicidade nativa se tornam mais claras, mais profissionais de marketing estão aprendendo como usá-la para aumentar o brand awareness e as conversões. É por isso que a Outbrain lançou sua certificação em Publicidade Nativa, um curso online, gratuito e on-demand para treinar a próxima geração de profissionais de marketing digital com as melhores práticas deste canal. Partiu?

Fernanda Negrini

Fernanda Negrini

Fernanda Negrini é gerente global de marketing na Outbrain e tem mais de 10 anos de experiência com passagens por empresas nacionais e internacionais em negócios B2C e B2B.